• Maria Silvana Alves

Transtorno do processamento Auditivo Central (TPAC)

Você sabe o que é Processamento Auditivo Central?


Costumamos dizer que Processamento Auditivo é o modo como o ouvido conversa com o cérebro, ou seja, é o termo usado para descrever tudo o que acontece com os sons desde que os ouvimos, até o momento em que o cérebro os interpreta. Ele representa um conjunto de habilidades desenvolvidas desde o nascimento, como por exemplo: localizar o som, focar a atenção em um som e ignorar outros, discriminar um som do outro, memorizar sequência de sons, etc.




E o que acontece se houver uma falha neste processo?


Alguns problemas como o nascimento prematuro, atraso na maturação do sistema nervoso central, otites frequentes ou perda de audição, podem causar um atraso no processamento auditivo, que chamamos de Transtorno do Processamento Auditivo (Central) ou TPAC.


Esse Transtorno pode variar em diferentes níveis de significância e pode ocorrer de forma independente e/ou associado a outros distúrbios como a Dislexia e o TDAH por exemplo, ou seja, nem todos os indivíduos com Dislexia ou TDAH têm um transtorno do Processamento Auditivo Central e vice-versa.


Algumas características de crianças com TPA(C):

  • Fala ou linguagem inadequadas;

  • Desatenção;

  • Dificuldades escolares;

  • Dificuldade em acompanhar uma conversa quando muita gente fala ao mesmo tempo;

  • Dificuldade em memorizar o que foi dito;

  • Solicitação frequente por repetição;

  • Dificuldade na localização sonora;

  • Dificuldade em compreender na presença de ruído;

  • Confusão ao narrar uma estória ou dar um recado;

  • É muito agitado ou quieto demais.


Como saber se a criança apresenta TPA(C)?


Ao perceber que a criança apresenta algumas dessas características, a recomendação é que procure um Fonoaudiólogo para realizar avaliação auditiva e avaliar o processamento auditivo. Somente o Fonoaudiólogo é o profissional capacitado para avaliar, diagnosticar e reabilitar essas alterações. Os procedimentos são realizados em cabine acústica com audiômetro de dois canais e testes auditivos comportamentais para a avaliação do Processamento Auditivo.



De acordo com os resultados do testes, a criança é encaminhada para a terapia fonoaudiológica para iniciar um treinamento auditivo acusticamente controlado (em cabine acústica) e treinamento auditivo cognitivo, que é feito através de atividades para função auditiva central com ênfase nas habilidades auditivas alteradas, realizado através de CDs e softwares específicos.


Caso haja necessidade, o paciente fará também a terapia voltada para dificuldades de linguagem, memória, aprendizagem, entre outros. Junto a isso, deve ser feito também um trabalho de orientação a pais e professores, pois a participação da família e da escola é fundamental para o sucesso do tratamento.


PATRICIA AMENDOLA MARTINS

CRFa 2-8624

Fonoaudióloga Clinica com extensão em Processamento Auditivo Central


Contatos:

e-mail: pati_amendola@yahoo.com.br

whatsapp: (19) 99641-0193

Instagram: @patriciaamendolafono



32 visualizações

© 2023 por EU E A DISLEXIA.