• Maria Silvana Alves

O ORIGAMI E A MATEMÁTICA


Hoje, dia Nacional da Matemática, temos o texto da querida professora de Matemática Mônica Mitsue Yasumura da E. E. "Santo Antonio" e precursora da OBMEP (Olimpíada Brasileira de Matemática) em nosso município. Através dessa olimpíada, muitos alunos da escola pública puderam cursar o Programa de Iniciação Científica nas Universidades, ingressaram em cursos de graduação e tiveram o curso de Mestrado garantido em universidades públicas do país. É a matemática ampliando os horizontes de adolescentes e jovens da escola pública que buscam um futuro acadêmico promissor.


No post de hoje, vamos compreender, através dos origamis, a integração entre a matemática e a precisão de movimentos manuais em figuras de encantarem os nossos olhos e, ao mesmo tempo, estimularem o desenvolvimento das nossas crianças e adolescentes.



A CONTRIBUIÇÃO DO ORIGAMI NO ENSINO-APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA


A palavra origami vem do japonês “ORU” (dobrar) e “KAMI” (papel), então é uma arte milenar de dobrar papel. Para muitos, são apenas passatempos divertidos, mas o origami pode ir muito além, e muitos educadores unem a diversão de dobrar com o aprendizado da matemática.


Nas crianças, essa atividade desenvolve a capacidade de criar, contribuindo para o desenvolvimento da psicomotricidade, no senso de organização, na elaboração de sequências, na memorização de passos, na coordenação motora fina e quando trabalhado em grupo favorece a cooperação, paciência e socialização. O origami também desenvolve os dois lados do cérebro, uma vez que precisa aplicar a mesma força com as duas mãos.


Nas crianças maiores (Fundamental II e Ensino Médio) ajuda a desenvolver o pensamento geométrico, através das suas formas, que são as dedutivas, fazendo uso da intuição, organização e visualização espacial. Com um pedaço de papel, podemos elaborar as dobraduras formando figuras que contribuem para aperfeiçoar o estudo de divisões, frações, potências, razão e proporção, fixar conceitos geométricos como bissetriz, simetria, congruência, áreas e volumes, além de organizar o pensamento e estimular a concentração.


Atualmente, o Origami vem sendo usado na solução de problemas de química molecular, indústria e tecnologia espacial. As técnicas de dobraduras estão sendo usadas para dobrar objetos como airbags de carros e telescópios espaciais de maneira mais eficiente. A aplicação dessa arte tem sugerido a muitos estudantes a chance de se envolver com a matemática de forma que entenda o que está sendo ministrado e compreenda o que o professor deseja ensinar, de forma que consiga perceber a ligação desse material com o conteúdo em estudo. Para isso, inovar é preciso!


“Todo origami começa quando pomos as mãos em movimento. Há uma grande diferença entre conhecer alguma coisa através da mente e conhecer a mesma coisa através do tato. ” (Tomoko Fuse, origamista japonesa)

Conta a lenda que quem dobrar 1000 tsurus, terá seu pedido realizado...



0 visualização

© 2023 por EU E A DISLEXIA.