• Maria Silvana Alves

INTERVENÇÃO FONOAUDIOLÓGICA NAS DISLEXIAS - ETAPAS 3 E 4


3ª etapa: Processamento fonológico

O processamento fonológico é o uso da informação fonológica recebida auditivamente, relacionada ao desenvolvimento da linguagem oral. É composto pelas habilidades de consciência fonológica, nomeação automática rápida e memória de trabalho fonológica, que representam habilidades preditoras da alfabetização.

A estimulação das habilidades metafonológicas é fundamental na intervenção dos transtornos de aprendizagem. Mais especificamente, nos quadros de dislexia, é imprescindível que se trabalhe a análise e síntese fonêmica e silábica. A associação grafema- fonema favorece a aquisição da leitura e, posteriormente, a associação fonema-grafema propicia que a criança disléxica desenvolva a escrita.


4ª etapa: Leitura

Em casos de dislexia, é fundamental darmos ênfase no trabalho de decodificação de leitura. O trabalho com as habilidades metafonológicas de análise e síntese auditiva devem ser associados ao trabalho de reconhecimento das letras e associação aos sons correspondentes. Uma vez que a criança consiga realizar a síntese fonêmica e silábica, devemos estimular a leitura de palavras de alta frequência e, posteriormente, das de baixa frequência.

A compreensão de leitura pode ser estimulada por meio de textos que favoreçam a aquisição de vocabulário, assim como o desenvolvimento das funções de metalinguagem, tais como a capacidade de estabelecer relações, deduções, realizar inferências e argumentação. Outro aspecto a ser trabalhado é a fluência e a velocidade de palavras lidas por minuto, que, mesmo quando estimuladas, são de difícil evolução para a criança e para o adolescente disléxico.


0 visualização

© 2023 por EU E A DISLEXIA.