• Maria Silvana Alves

COMO UM ADOLESCENTE DISLÉXICO PODERIA EXPLICAR AOS COLEGAS O QUE É DISLEXIA?


Um assunto tão simples, mas ao mesmo tempo tão complexo de ser abordado por uma criança ou adolescente. Essa semana me deparei com essa pergunta e, sem hesitar, apresentei à criança o livro “As aventuras de Lidinho: O que é dislexia?”, das autoras Bianca dos Santos e Simone Aparecida Capellini. Este livro traz ua linguagem bem simples e didática que permite a qualquer pessoa, inclusive as crianças, compreenderem o que é o transtorno e o que pode ser feito pelos professores, pais e colegas de escola para que uma criança disléxica consiga cada vez mais avançar no processo de ensino e aprendizagem. Decidi compartilhar aqui no blog, um resumo desse livro feito por um adolescente que está crescendo com esse olhar inclusivo e de respeito às diversas formas de se construir conhecimento.


“Esse livro traz a história de um menino que tinha algumas dificuldades na escola. A turma da sala zoava ele por isso e fazia bullying diariamente só porque ele não conseguia ler. Seu nome era Bernardo. Certo dia, ele fez um desejo e apareceu um ser mágico chamado Lidinho que contou para o Bernardo tudo sobre o transtorno que ele apresentava. Esse “ser” explicou o que era a dislexia e sobre como era o funcionamento do nosso cérebro. Por alguns instantes, Bernardo ficou triste achando que a dislexia trazia problemas que nunca teriam soluções, mas Lidinho falou sobre as pessoas que se dedicavam a estudar sobre a dislexia se especializando cada vez mais nesse assunto e usando esse conhecimento para ajudar crianças disléxicas. Lidinho apresentou uma dessas especialistas, a fonoaudióloga Simone que explicou ao garotinho como funcionava seu trabalho com crianças iguais a ele. Mas o passeio de Bernardo e seu novo amigo, Lidinho, não acabou por aí. Eles foram até a casa de Bernardo pra bater um papo com os pais dele. Lidinho explicou o que era dislexia e deu várias dicas de como eles poderiam ajudar o filho. Antes de ir embora, Lidinho contou para o garoto que ele não apareceu magicamente na vida dele. Ele explicou que a professora da escola era a responsável por tudo aquilo. Disse que ela sempre estava estudando e pesquisando para poder ajudar crianças que, assim como ele, tinham dificuldades de aprendizado. Assim, o amiguinho se despediu de todos e foi embora. Bernardo, já cansado, foi dormir e descansar depois de um dia cheio de novidades. No outro dia, acordou super feliz pra ir pra escola para alegria de toda sua família. Bernardo queria correr contar para os amigos sobre o que ele tinha descoberto. Para sua surpresa, Lidinho já tinha passado na escola e contado aos seus amigos sobre tudo que tinha acontecido. Foi um momento muito feliz para todos. Os amigos de Bernardo pediram desculpas pra ele e finalmente eles entenderam que a dislexia era uma coisa muito séria!”

Levy Correia da Silva Neto


6 visualizações

© 2023 por EU E A DISLEXIA.