• Maria Silvana Alves

A FORÇA DA POESIA!

A poesia tem o poder de traduzir sentimentos em palavras!

Ao ler uma poesia, nos tornamos coautores do fazer literário!

Compartilhamos com o artista o amor, a alegria, a dor, a indignação...

Hoje teremos, novamente, a grandeza e a intensidade das palavras do poeta D’ Melo como um convite irresistível a um universo único e genuíno!



POR CAUSA DE UM BEIJO



Por causa de um beijo

A humanidade já provou várias vezes a verdade

da loucura.


Pássaro ganha nome novo

Depois de um beijo dado numa flor

P*** deixa a vida profana e sai do cabaré

Por causa de um beijo.


Páris rouba Menelau e provoca uma guerra

E depois de tanta carne cortada e sangue derramado

no chão

Os muros de Tróia caíram depois do galopar do cavalo

Por causa de um beijo.


Perdemos nosso senhor Jesus Cristo

Por causa da inveja dourada de trinta moedas seladas

com um beijo.


Por causa de um beijo

Eu fui salvo. Arrebatado.

Ganhei vida nova.

Por causa de um beijo.


CABO DE DOR



Eu não aguento mais

Estou cansado de ver e ouvir

Os prantos da cidade


Lá vai a carruagem

Com sua cor fúnebre

Enferrujada aos quatros cantos

Palavras de sangue serão ditas

E ela vai passando

Cortando a cidadela no meio

Anunciando a morte que veio

Mais um fudido no saco preto está

Mais um perdido que deixou de ser vivo

e deixou de sonhar


E agora o que é que fica

Fica a raiva

Fica o ódio, a desalegria

A marca de sangue na calçada

E eu não aguento mais


(...) O material do poeta é a vida, e só a vida, com tudo o que ela tem de sórdido e sublime. Seu instrumento é a palavra. Sua função é a de ser expressão verbal rítmica ao mundo informe de sensações, sentimentos e pressentimentos dos outros com relação a tudo o que existe ou é passível de existência no mundo mágico da imaginação.” (Vinícius de Moraes)

16 visualizações

© 2023 por EU E A DISLEXIA.