• Maria Silvana Alves

A ESTIMULAÇÃO COMO UM DIFERENCIAL NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL

“Quando olho uma criança, ela inspira-me dois sentimentos: ternura pelo que é, e respeito pelo que pode ser.” (Piaget, J.)

Esta frase de Piaget é bastante inspiradora, pois quando temos contato com uma criança pela primeira vez percebemos que nela há um universo de possibilidades pela frente e vai depender do contexto (seja ele familiar ou escolar) do qual faz parte para ser um sujeito feliz no futuro. Mas afinal, o que é “estimular”? De acordo com o dicionário online Michaelis, é “o ato de incentivar alguém a fazer alguma coisa; animar; encorajar; incitar; impulsionar o desenvolvimento; aumentar ou ativar as funções de um órgão ou de outra estrutura corporal.” Em outras palavras, é provocar uma reação e, de acordo com a neurociência, mudar um comportamento, promover um aprendizado.



QUAIS AS CONDIÇÕES NECESSÁRIAS PARA A CRIANÇA APRENDER?


  • o estado de bem estar (a criança está bem?)

  • equilíbrio interno (aspecto biológico)

  • equilíbrio externo (ambiente escolar e familiar)

  • interação (genética X ambiente)



A estimulação é fundamental para que a criança possa ter um bom desenvolvimento global . A imagem abaixo nos mostra como ocorre o desenvolvimento do cérebro de uma criança no seu primeiro aninho de vida. A afetividade e as interações com o meio através das estimulações adequadas são umas das grandes responsáveis pela transformação nessa rede neural.


“Quanto maior o vínculo que a criança tem com o cuidador nos primeiros anos de vida, maior é a rede de conexões no seu cérebro.” (Dra. Escobar)

De acordo com Pereira e Rocha (2016), as Competências Iniciais para a Leitura e Escrita que precisam ser estimuladas no período que antecede a alfabetização a fim de que o processo ocorra da forma mais adequada, são:

  • Maturidade perceptiva:

a) Auditiva

b) Visual

c) Dominância Lateral (3-4 anos)

d) Reconhecimento da dominância lateral:

- em si mesmo;

- no outro;

- no espaço gráfico.


  • Memória:

a) Memória visual;

b) Memória auditiva.


  • Esquema corporal e orientação espaço-temporal:

a) Identificação em si;

b) Identificação no outro;

c) Posição no espaço gráfico.


  • Desenvolvimento motor:

a) Motricidade fina.


* Linguagem:


a) Compreensão oral:

b) Consciência fonológica:

- rimas;

- compreensão e decodificação;

- classificação da sílaba e fonemas iniciais;

- manipulação da sílaba inicial e final;

- segmentação das sílabas.


c) Expressão oral.


No post de amanhã, traremos algumas dicas de atividades e brinquedos que podem contribuir no desenvolvimento infantil de acordo com a faixa etária.

14 visualizações0 comentário

© 2023 por EU E A DISLEXIA.