—  Daiane S.

“Meu filho G. apresenta TDAH, perfil hiperativo, diagnosticado aos 7 anos. Quando foi fechado o laudo, me lembro que era uma criança muito ativa. Após a alfabetização, veio o laudo da Dislexia. Fiquei muito surpresa quando descobri o transtorno. Eu e meu esposo buscamos ajuda com neuropediatra, psicólogo e, depois da psicopedagoga Maria Silvana que acho que foi, para mim, o ponto chave, porque ela identificou o jeito certo de poder estar trabalhando com criança como ele. Hoje meu filho já está com 17 anos, é um menino incrível, sabe. Às vezes, em casa, me dizia ‘Mãe, preciso da Maria Silvana’. Interessante que no começo ele recusava, mas ele entendeu a importância dos atendimentos. A Maria Silvana orientou meu filho no ponto inicial de como ele aprenderia melhor e hoje ele é esse filho incrível e  maravilhoso! Nossa! Foi tão importante. Nós, como mães, às vezes ficamos  um pouco assustadas, mas eu o acompanho desde o começo do tratamento. Começou com neuropediatra, agora é neurologista. Ele tem melhorado a cada dia. Hoje ele falou pra mim ‘Mãe, indo pra escola tomando ritalina ou não,  é a mesma coisa’, mas percebo que ele consegue ter uma concentração bem maior. A ajuda com a psicopedagoga foi simplesmente, assim,  incrível. Ele adorou;  eu e meu marido percebemos a diferença. Ele se tornou mais maduro e, graças a Deus, ele está muito bem hoje. As psicopedagogas são muito importantes!”  

© 2023 por EU E A DISLEXIA.